Arquivo da categoria: Condicionamento Físico

Treinamento de força em circuito na perda e no controle do peso corporal

circuito

O estilo de vida inativo ou sedentário associado com o sobre peso corporal representa uma das maiores ameaças à saúde dos seres humanos no mundo atual. Um dos grandes responsável por esta epidemia é a falta de atividade física (MATSUDO et al., 2002).

O treinamento de força consiste em um método de treinamento que envolve a ação voluntaria do músculo esquelético contra alguma forma externa de resistência, que pode ser provida pelo corpo, pesos livres ou maquinas. (WINETT; CARPINELLI, 2001).

Vários estudos sobre qual exercício é mais eficaz na melhora da redução do peso corporal, entram em contradição. Alguns pesquisadores defendem os exercícios com maior predominância aeróbica (ACSM 2000a), enquanto outros autores defendem os exercícios com maior predominância anaeróbia (FLECK; KRAEMER, 2006; ACSM, 2002; WINETT; CARPINELLI, 2001).

Qual é o melhor método de exercício com predominância Aeróbio (é aquele que se refere ao uso de oxigênio no processo de geração de energia dos músculos) ou Anaeróbio (é aquele exercício realizado em alta intensidade nas quais o metabolismo anaeróbico acontece nos músculos sem a presença de oxigênio como substrato energético, utilizando outros substratos energéticos como fonte de energia)? Os dois exercícios e de suma importância na perda do peso corporal, mas quando trabalhados juntos tem uma importância ainda maior na diminuição da gordura corporal. Com isso vem crescendo cada vez mais o método de treinamento em circuito.  O ACSM (Colégio Americano de Medicina do Esporte) (2000b) cita que todos os tipos de exercícios podem contribuir.

Para enfatizar o treinamento de força dentro de um programa de emagrecimento aplica-se o treinamento em circuito. Tendo alterações no volume do treinamento, aumentando a duração das sessões e ativando mais o sistema aeróbio, acarretando em um maior gasto energético durante o exercício, porém ainda dentro das características dos exercícios de força.

Este método de treinamento teve origem na Inglaterra em 1953 por Morgan, R. E. e Adamson G. T. adaptado do treinamento intervalado devido às dificuldades climáticas na Europa (TUBINO, MOREIRA, 2003). Ele consiste em uma sequencia de exercícios físicos executando um após o outro, com um mínimo de descanso entre eles, podendo ser realizados nos aparelhos de musculação ( FLECK; KRAEMER, 2006).

O circuito é um método de treinamento físico que não treina especificamente uma capacidade física e, sim, apresenta de uma forma generalizada, tendo resultados tanto no sistema cardiorrespiratório quanto no sistema neuromuscular ( DANTS, 2003; TUBINO; MOREIRA 2003). No circuito podem ser realizados exercícios com maior predominância anaeróbia ou trabalhar bem o sistema aeróbio ou trabalhar ambos os sistemas em momentos distintos da mesma sessão de treino (GETTMAN et al., 1978).

Por ser um método de treinamento físico mais generalizado, pode ser bastante útil para indivíduos com sobrepeso e obesidade, que geralmente são pessoas sedentárias e não necessitam de uma aptidão física necessária. (ACSM, 2006b).

Indivíduos com sobrepeso, quando se submetem a exercícios de alta intensidade, como a corrida podem sobrecarregar suas articulações, podendo gerar problemas articulares entre outras doenças como a osteoartrite nas mais diversas articulações, chegando a causar dores, tendo limitações de amplitude de movimentos e reduzindo o numero de exercícios viáveis (POSTON; SUMINSKI; FOREYT, 2003). Indivíduos com sobrepeso representam um risco maior de desenvolver doenças ortopédicas (ACSM, 2000ª). Neste caso, com a prática do treinamento de força sendo um treinamento eficiente tem por objetivo fortalecer os músculos esqueléticos e assim diminuir o risco de lesões por impacto, utilizado também pelo aumento do gasto calórico (ACSM, 2002; QUEDES; QUEDES, 1998).

Autores: João Paulo Limongi França Guilherme e Tácito Pessoa de Souza Júnior

Publicado por Matheus Gonçalves Villani.